O dia hoje amanheceu com sol, como muitos outros em que esta Primavera tem alterado os dias de chuva e cinzentos, com o sol radioso a dar-nos a vitamina que o nosso organismo necessita.


Mas hoje foi diferente. Foi como se tratasse de pudermos desfrutar de uma liberdade ‘condicional’, ou seja, não a liberdade plena de voltar a um passado que vivíamos em 2019 mas, ter a possibilidade de entrar num restaurante, sem ter que ‘espreitar’ simplesmente ao postigo.

No rosto dos proprietários dos restaurantes de Arronches, quase que posso adivinhar que deixavam antever uma esperança. A esperança de que se tudo correr bem, acabe o sacrifício a que têm estado submetidos ao longo de 15 estados de emergência.

Dizia hoje o Presidente da República, com respeito ao fim da emergência que “se fosse por apetecer, há muito tempo que apeteceria". Infelizmente não se trata de apetecer ou não, mas hoje a sensação que nos ficou foi essa. Apetecer-nos tomar um café numa esplanada, ou entrar no espaço interior de um restaurante para almoçar e poder fazê-lo. Simplesmente isso, ter essa pequena liberdade para quem se vê confinado há tanto tempo.

Tudo depende de nós no país e em Arronches. Já fomos notícia na comunicação social pela parte negativa de casos de infecção, agora há mais de um mês livres de Covid-19, não conseguimos vislumbrar uma menção à capacidade dos arronchenses em reverterem a situação.