UM ANO SEM CARNAVAL…MAS É PRECISO SORRIR

Impedidos pela pandemia, este é o primeiro ano em muitas décadas, que não se celebra o carnaval. Para além da diversão, da sátira, perde-se o mais importante: a alegria de miúdos e graúdos…e a economia a funcionar.


Cabe aqui então recordar que o “Carnaval é um festival do cristianismo ocidental que ocorre antes da estação litúrgica da Quaresma. Os principais eventos ocorrem tipicamente durante Fevereiro ou início de Março, durante o período historicamente conhecido como Tempo da Septuagésima (ou pré-quaresma). O Carnaval normalmente envolve uma festa pública e/ou desfile combinando alguns elementos circenses, máscaras e uma festa de rua pública. As pessoas usam trajes durante muitas dessas celebrações, permitindo-lhes perder a sua individualidade quotidiana e experimentar um sentido elevado de unidade social”. (Wikipédia)


Tem as suas origens como "carnis levale" entre os egípcios e romanos, tendo seguimento na Idade Média, Cristianização, e chega aos nossos dias, sendo que, no percurso deste caminho de séculos, foi sofrendo as suas variações e maior o menor importância a nível global.

Sendo actualmente o Brasil onde o carnaval tem maior expressão, através do envolvimento das suas escolas que disputam entre si a primazia do estandarte anual, atraindo milhões de turistas ao sambódromo, não menos importante é o Carnaval de Veneza (com o privilégio do ter apreciado localmente), onde impera o bom gosto dos trajes e das suas insuperáveis máscaras, desfilando em gôndolas e palacetes em Rialto.

Outros há, que também têm a sua importância, como o de Colónia na Alemanha ou o de New Orleans nos Estados Unidos da América do Norte.


Em Portugal a marcar presença mais acentuada, temos os carnavais no Algarve, Loures, Funchal/Madeira, Torres Vedras, Sesimbra ou o carnaval de Ovar.

Em Arronches o Carnaval está actualmente centrado em trazer essa alegria à pequenada. Conta com vários intervenientes a confeccionar os trajes, a Academia Sénior, onde o apoio da autarquia é indispensável. Este ano o carnaval presencial não vai ser possível mas, com as novas tecnologias, muitos vão recorrer a plataformas na internet.