REGIÃO - Os Alunos da Escola de Vila Boim, em Elvas, apresentam resultados de projecto

Os alunos e professores da Escola Básica Integrada 1,2,3 de Vila Boim vão apresentar, no dia 8 de Novembro entre as 10.30h e as 13h os resultados do projecto cultural de escola que decorreu ano lectivo 2021/22, juntamente com os artistas que dinamizaram a acção e outros parceiros.


“O que na comunidade é incomum” é o nome do projecto que decorreu no âmbito da adesão do Agrupamento Escolar nº3 de Elvas ao Plano Nacional das Artes promovido pelos Ministérios da Educação e da Cultura, em parceria com a Organização de Estados Ibero-americanos (OEI) ao abrigo de um protocolo conjunto para o desenvolvimento de iniciativas como esta.


A associação de artistas responsável pelo desenvolvimento do projecto no terreno foi a ‘UmColetivo’. Foi desta forma que a Escola Básica de Vila Boim, numa das freguesias do concelho de Elvas, teve implementado no último ano lectivo (e no anterior também), nos segundos e terceiros ciclos, um projecto que previu a residência artística em várias áreas artísticas, como teatro, música e dança em diversas disciplinas do currículo destas crianças e jovens.

Na terça-feira dia 8 será apresentado um documentário por parte da UmColetivo que agrega o trabalho desenvolvido. Os alunos terão também oportunidade de partilhar as suas experiências e será feito um balanço sobre esta iniciativa, moderado por Simone Donatelli. A apresentação conta com as presenças da Directora do Escritório da OEI em Portugal, Ana Paula Laborinho, a Subcomissária do Plano Nacional das Artes, Sara Brighenti, a Directora do Agrupamento de Escolas n.º 3 de Elvas, Fátima Pinto, o Professor Coordenador do Projecto Cultural de Escola, José Kuski Vieira, e os artistas Cátia Terrinca e João P. Nunes, da associação 'UmColetivo'.

“O que na comunidade é incomum” pretendeu dar continuidade ao projecto do UmColetivo, garantido um espaço de programação e curadoria na escola, acessível a toda a comunidade escolar, bem como perseguindo a lógica do desenvolvimento de projectos artísticos de continuidade, ao longo do ano. No ano lectivo de 2021/22, foram surgindo de forma espontânea algumas residências artísticas de curta duração, que colocavam os alunos perante práticas artísticas enquanto colaboradores - “desafiamo-nos, por isso, no ano passado, a acolher na comunidade também o que é incomum, quem vem de fora, e para tal escolhemos as seguintes artistas: Magda Cordas & Helena Major (Portalegre), Zetho (Angolano a residir em Lisboa) e Beniko Tanaka (Japonesa a residir em Lisboa) ”, refere a 'UmColetivo'. “Se, por um lado, convidamos a escola a pensar sobre a comunidade de Elvas, os seus heróis, as suas histórias e o seu ecossistema, também queremos criar novos espaços, espaços para que objectos e relações novas possam surgir, brotando do chão antigo, de todas as tradições, mas olhando para um outro céu, contemporâneo”.


Escola Básica Integrada 1,2,3 de Vila Boim