top of page

Quatro albufeiras da Extremadura, as que mais acumularam água nas últimas horas

A tempestade (Nelson) faz com que duas barragens em Cáceres e duas em Badajoz acumulem mais água que os restantes reservatórios nacionais


As albufeiras da Estremadura são as mais beneficiadas numa semana caracterizada pelos efeitos da tempestade Nelson, que mantém a região em alerta amarelo por chuva e vento há quatro dias. Transbordamentos, deslizamentos de terra, estradas fechadas e cancelamentos de cortejos devido ao aumento do acúmulo de água nas barragens.



Quatro albufeiras da Extremadura são as que mais acumularam água a nível nacional nas últimas horas, segundo dados recolhidos pelo site especializado embalses.net com dados do Ministério da Transição Ecológica e das confederações hidrográficas até às 20h50 de sábado.

Alcântara, a segunda maior de Espanha desde 1969 e a que regula grande parte do caudal do rio Tejo, ocupa a primeira posição ao acumular 146,15 hectómetros cúbicos em 72 horas que, enquanto espera somar o acumulado dos últimos cinco dias, abrange 81,14% de sua totalidade com 2.564 hm³ de água (quase 4% a mais que no ano passado, na mesma data). A segunda é a albufeira de Cíjara, construída em 1956 na província de Badajoz, que registou nestes três dias 146,75 hm³ e cobre 45,51% da sua capacidade. A albufeira de La Serena, a maior de Espanha e a terceira maior da Europa, também em Badajoz, acumulou 161,03 hm³, embora cubra apenas 23,92% da sua totalidade. A barragem Gabriel y Galán, formada pelo represamento das águas do rio Alagón em Cáceres, acumulou 3,08 hm³ das 16h às 19h deste sábado, o que a coloca na quarta posição da lista.

(Créditos - Sandra Pérez Sánchez/El Periódico)

Comments


bottom of page