METEROLOGIA- Do saber popular aos satélites

As cabañuelas usadas no sul de Espanha e na América do Sul, as canículas e caniculares em especial no Alentejo e o Borda D’água (um almanaque português publicado anualmente desde 1929 pela Editorial Minerva, continua a ser impresso numa tipografia tradicional e a manter a mesma linha editorial desde a sua fundação), vinham do saber popular, com a sua origem na antiga Babilônia e também adoptada pela civilização mexicana dos Maias.


Difícil de entender pelas gentes dos centros urbanos, mas bem conhecida de quem mora ou já morou no campo, como método na previsão da meteorologia ao longo do ano, para a agricultura, épocas de sementeiras e outros trabalhos agrícolas, fases da lua, informação sobre o mar e as marés.

Juan Luis Fernández (bombeiro) da localidade de Tentudía é um conceituado e acreditado expert das cabañuelas, que concedeu há pouco uma entrevista sobre esta matéria a um jornal espanhol da Extremadura, onde faz a previsão para o que resta de 2022…e o que pode ser 2023.

Um termómetro, um relógio, um bloco de notas e o contacto com a natureza são os únicos elementos que necessita para tentar prognosticar o tempo que fará nos próximos meses. Diz o estudioso das cabañuelas que “é fundamental ter muito em conta a climatologia dos primeiros 13 dias do mês de Agosto”.

Com as esperanças colocadas no próximo Outono e sem serem previsões científicas mas bastantes acertadas no seu currículo (70% de acerto em anos anteriores), augura um “Outono húmido com chuva em Setembro e Novembro e um ano de 2023 que, na sua previsão de precipitação ajudará as colheitas e ganadarias mas, que não será o suficiente para acabar com a actual situação de seca”.

Fernández começou a recolher dados em 2 de Agosto, já que o primeiro dia do mês "seria um compêndio do que vai acontecer ao longo do ano". O comportamento da climatologia desse dia corresponde ao mês de Janeiro do ano seguinte. O dia 3 corresponde ao mês de Fevereiro, o dia 4 ao mês de Março, e assim sucessivamente até o dia 13 de Agosto, que seria equivalente ao mês de Dezembro. Cada hora decorrida em cada um desses treze dias equivale a pouco mais de um dia do mês de referência.


(Foto-D.R.)