Mensagem do Presidente da República a propósito da realização das Eleições Legislativas

O Presidente Marcelo Rebelo de Sousa dirigiu uma mensagem aos Portugueses a propósito da realização, no dia 30 de Janeiro de 2022, das Eleições Legislativas.



Pode-se ler na página oficial da Presidência da República em que o Presidente afirma:

Estas eleições para a Assembleia da República são, verdadeiramente, diferentes.

“Diferentes porque, sendo as primeiras eleições parlamentares realizadas em pandemia e após rejeição, também pela primeira vez, de um Orçamento de Estado em Democracia, nelas confirmámos o domínio de três temas: a própria pandemia e a saúde; a urgente melhoria das condições de vida, a próxima fórmula governativa, por cada qual preconizada.

Diferentes, porque, nelas confirmámos que o choque da pandemia tem sido tão abrupto e prolongado que recuperar economia e mitigar pobreza e desigualdades sem mudanças de fundo, corre o risco de ser encharcar com milhões as areias de um deserto.

Diferentes, porque, nelas, confirmámos o relevo do voto antecipado, a sugerir a oportuna reponderação do dia de reflexão, pensado para outra época e para outras preocupações.

Diferentes, porque, nelas, confirmámos a falta de uma lei de emergência sanitária, de que falei há um ano, e a necessidade de revisão da lei eleitoral, tão rígida que exclui votação fora de domingos e feriados, e não permite horários flexíveis, assim fechando portas a situações excepcionais.

Diferentes, porque, nelas, confirmámos uma audiência sem precedente nos numerosos e mobilizadores debates e entrevistas, em clássicos e novos meios digitais, a testemunhar o elevado empenhamento de partidos e seus dirigentes e o profissionalismo de jornalistas, e a aconselhar cuidado acrescido naqueles que pensam regressar, no futuro, a poucos e selectivos debates audiovisuais.

Diferentes, porque, nelas, confirmámos uma serenidade no mês seguinte à convocação das eleições, e uma pré-campanha e campanha, nalguns pontos, muito diversas das tradicionais, por causa da pandemia. Mas não menos, porque, de novo, com a participação de mais jovens, e, ainda, porque há certos meios e estilos que passaram e dificilmente voltarão a ser como eram.

Diferentes, porque, nelas, confirmámos, numa época de emoção incontida, mesmo em Democracias as mais antigas, evidente civismo, efectivo respeito pela diversidade, e até calorosa solidariedade, em situações e episódios mais sensíveis”.

Ler mais aqui


(Créditos-Página Oficial da PR)