José Luís Sommer, mais um Amigo que partiu…

Faleceu ontem em Elvas José Luís Sommer Vasconcelos D’Andrade. Para uns cavaleiro tauromáquico, ganadeiro ou agricultou. Para mim partiu mais um Amigo. Aos poucos ‘Les campagnon de rute’ vão sendo menos. Quando os vimos partir é como nessas partidas fosse um pouco de nós.


2010 - Mês da Cultura Taurina em Arronches com Sommer e José Júlio

Fiz amizade com o Zé Luís - como sempre o tratei - nos anos setenta. Daí para cá essa amizade foi-se cimentando no respeito mútuo e em compartirmos muitas opiniões sobre o toureio, a sua forma de interpretação, caracterização e o seu meio envolvente. Muitas vezes fomos polémicos sobre estas matérias em colóquios onde coincidimos.

Entrava em Font’Alva como na minha casa, Como ele dizia esta porta para ti está sempre aberta. Fica para recordar no ‘baú da saudade’ os serões em Font’Alva com seu pai o Eng.º Fernando Sommer - que me distinguiu com a sua amizade - e o cavaleiro e ganadeiro José Rosa Rodrigues, com os quais, sempre a escutar, aprendi o pouco que sei sobre a matéria. As corridas em que o acompanhei em Portugal e Espanha. O seu gesto mesmo quando fazia negócio para a venda dos seus touros para Espanha e eu me afastei, me chamar e dizer: “a onde é que vais, contigo não há segredos, podes ficar connosco e vens no jipe ver os touros”.

Foram anos de convivência. Criticava-me por agora que vivia em Arronches, e ia à sua casa menos vezes. Quantas histórias ficam por contar Zé Luís, mas que nós sempre as guardaremos como algo nosso. Sinónimo da nossa verticalidade, de defendermos os nossos princípios para uma Festa que sempre se foi afastando. Faço ideia quando te encontrares com o António José Martins, o Sacramento, o Jorge e outros poucos mais, o que vão ser as vossas conversas.

Um dia, sabe-se lá quando, voltamos a encontrar-nos. Até lá Amigo!