INAUGURADA A EXPOSIÇÃO DE PINTURA DE JOAQUIM DIAS

(Com Podcast) - Decorreu ontem ao final da tarde (3 de Dez.) no Centro Interpretativo da Identidade Local de Esperança, a inauguração da exposição de pintura (aguarelas) do esperansense Joaquim Dias.



Estiveram presentes no acto da abertura da exposição o Presidente da Câmara Municipal de Arronches João Crespo, acompanhado do Vice-presidente Paulo Furtado e da vereadora Maria João Fernandes em representação do Município, os presidentes das Juntas de Freguesia, munícipes e, posteriormente, o Padre Marcelino, amigo pessoal do pintor.



João Crespo começou por saudar os presentes e referir que “o desafio foi-nos lançado por Joaquim Dias para fazer a exposição aqui nesta altura em Dezembro”. O desafio era expor “parte das suas obras” e como tal o Município acolheu “como muito gosto” esse desafio, referiu o presidente.


O espaço para expor é reduzido e João Crespo salientou que “não permitia ter mais obras expostas”. Recordou ainda que “é muito gratificante apresentar obras de pessoas que são da nossa terra, do nosso concelho e, particularmente, em Esperança”. Em relação à participação de Joaquim Dias na animação deste espaço cultural, desejou-lhe que “esta seja a primeira de muitas neste espaço, noutro do Município ou, na freguesia dos Mosteiros”-

João Crespo não deixou de recordar aos presentes que vivemos tempos difíceis com esta nova vaga do Covid-19 e porque todos devemos ser responsáveis, lamentava nesta ocasião não poder haver o habitual pequeno beberete.

Terminou por desejar boas festas aos presentes, desejando que o próximo ano “seja melhor do que este”, concluiu.

Depois da intervenção do edil Joaquim Dias começou por “agradecer a presença de todos” e a disponibilidade da “Câmara de Arronches e da Junta da Esperança nas pessoas de João Crespo e Luís Janeiro”, não esquecendo os presentes e, em especial, o seu Amigo Padre Marcelino.


Sobre a sua exposição Joaquim Dias disse que “o objectivo, o propósito de eu trazer estas coisas à minha terra não é de modo algum numa perspectiva comercial”, tendo a consciência do reduzido número de visitantes que pode ter neste espaço.

Para Joaquim Dias por detrás de tudo isto, está o contribuir para dinamizar um espaço tão bonito, como aquele onde estão as suas obras, considerando que merece um pouco mais de mediatização, frisou.


Quanto ao seu trabalho de pintura de aguarelas, explicou aos presentes o processo no qual estão presentes a água, naturalmente, pigmento, o papel de algodão e depois a técnica e sensibilidade do pintor.

Seguiu-se uma apreciação das obras expostas e a natural explicação do artista, sobre a técnica, texturas e mesmo a forma de expor, tendo em conta a projecção da luz.