GASTRONOMIA - Um ‘pedaço’ de Trujillo em Elvas

Antonio Canhoto dirige o ‘Girassol’ na cidade portuguesa, com motivos de Trujillo



É um restaurante que abraça. Um daqueles que abrem o apetite e a vontade de desfrutar. Tem uma decoração clássica com charme e a cor de uma taberna. “Oferecemos comida deliciosa sem pretensões”, diz António José Canhoto do estabelecimento que baptizou há 31 anos com o nome de Girassol, situado no centro histórico de Elvas (Portugal). A sua cozinha tradicional transmite amor, paixão, conhecimento e know-how. Sempre com produtos alentejanos e sazonais. É assim que a experiência de comer neste local pode ser definida em poucas palavras.

«Na decoração há alusões a muitos sites de amigos e clientes. Um deles que amamos é o Trujillo. A cidade tem magia e uma experiência gastronómica inesquecível”, comenta Antonio ao El Periódico Extremadura, enquanto mostra algumas pinturas com alusões à Plaza Mayor e ao conquistador Francisco Pizarro. Da mesma forma, nas paredes pendem outras telas, vasos, uma roda de carruagem, leques, chaves, fotografias de paisagens... Tudo muito simples, sem grandes luxos, mas esbanjando afecto.

Com esta colecção de antiguidades, o Girassol recebe os comensais atraídos pela sua vasta e triunfante oferta gastronómica com um tratamento próximo e familiar (dada a ocupação ao sábado, melhor reservar), e por uma carta que destaca os ovos mexidos com chouriço, os lombos de porco com queijo pecorino e orégãos, pena ibérica ou secreto com guarnição de batatas e arroz, bacalhau dourado ou com amêijoas e gambas frescas, salmão, sopa de peixe, salada tropical com camarão e fruta fresca... tem vinhos de grande qualidade. E depois há os seus deliciosos cremes e bolos caseiros, que prazer inefável.


(Créditos El Periódico Extremadura)