FUTEBOL – Se dúvidas houvesse, elas ficaram esclarecidas



O triunfo não é fácil, implica trabalho, competência e dedicação. Aquilo que o Sport Arronches e Benfica alcançou nesta época de 2021/2022, é exemplo disso mesmo.

Os números aí estão e falam por si, e não vale a pena estar a ‘chover no molhado’. No entanto, aquilo que aconteceu no passado sábado no Estádio Capitão César Correia, em Campo Maior, foi a prova inequívoca que a supremacia nesta época, sempre foi do Arronches e Benfica ao defrontar-se como Campeão da Liga com o vencedor da Taça da Associação.


A vitória do Arronches e Benfica perante um adversário que começou o jogo num 5-4-1, por vezes 4-4-2, só atrasou um pouco a que o marcador funcionasse e, a partir de então, ‘Os Gavionenses’ tiveram que correr a trás do prejuízo. Para isso mudaram por vezes para uma defesa a três mas, sem a qualidade necessária para sair a jogar porque a pressão do Arronches e Benfica de pronto recuperava a bola.

O resultado de 3-0 com golos de David, Pedro Marquês (penalti) e Gui, soube a pouco, pois com a entrada de Rafa Carvalho e Miguel Hernández as oportunidades surgiram em especial com aquela grande jogada de Miguel que sentou um defesa e o guarda-redes Janela, para depois rematar ao poste. Ou aquele Mendonça (um poço de força) a fazer todo o corredor esquerdo, cruzar e vir recuperar para defender, fizeram com o colectivo, a história da conquista da Super Taça Comendador Rui Nabeiro, que foi ao relvado entregar a Taça ao capitão Mateus.