FORCADOS DE ARRONCHES ONTEM NO CAMP PEQUENO

Segundo se pode ler hoje no site ‘Touro e Ouro’ da nossa colega e amiga Solange Pinto, a corrida que ontem teve lugar no Campo Pequeno contou com “Muito público, cerca de três quartos fortes da lotação completa”.



Lidaram-se touros da ganadaria de Charrua “no geral pouco abonados de forças, mas a cumprirem de boa forma na sua passagem pela arena do Campo Pequeno, sendo que no conjunto, pode bem dizer-se, que foi uma noite de triunfo, justificando-se a chamada do ganadeiro à praça”.


Actuaram os cavaleiros Luís Rouxinol, Pablo Hermoso de Mendoza e pegaram os forcados de Amadores de Arronches, Monforte e Académicos de Coimbra.

“Pablo esteve muito bem com o primeiro, com uma brega muito ligada e muito bons ferros compridos e curtos”, em sua opinião.

No segundo, montando o seu cavalo-estrela, Disparate, armou o 'lio', ao voltar a ligar muito bem a sua brega, sem momentos mortos, com remates e hermosinas”.


Quanto a Luís Rouxinol que abriu praça, Solange escreve que “A primeira actuação de Luís Rouxinol foi em tom regular. Mal não esteve, esteve de resto bem, embora sem alardes de triunfo. Bregou com eficácia, reuniu bem e rematou as sortes, contudo, repito, sem cores de triunfo. Esses sim, os tons mais triunfais, chegariam com a também chegada à arena da sua montada Douro”.



Por fim a apreciação à actuação do cavaleiro das ‘Esquilas/Monforte em que afirma “Se estas não foram as melhores actuações de Moura Caetano em Lisboa, andaremos lá perto... Na primeira prestação, brilhou com o Campo Pequeno, deixando bandarilhas de muito bom nível, com remates com muita profundidade e temple.

No segundo, fez o que não lhe conhecemos como habitual. Foi receber o seu oponente à porta gaiola, dobrando-se depois muito em curto... Cravou dois compridos de soberba nota, mas os curtos, esses sim foram escandalosamente bons. Montou o Baco e com ele, imponentes entradas ao piton contrário, levantando o conclave em apoteose”.


Quanto aos forcados viu assim as suas prestações “ João Tavares, dos Académicos de Coimbra pegou o último Charrua ao primeiro intento, venceu o troféu em disputa, de forma absolutamente justa e fez assim história na história do Grupo de Académicos de Coimbra, no dia em que se estrearam na mais importante praça de touros do país. Francisco Gonçalves pegou o primeiro do lote, também ao primeiríssimo intento.

O dito prémio, cuja decisão estava a cargo dos três cabos, foi ainda disputado pelos Amadores de Arronches e Monforte”.


Quanto ao grupo arronchenses “Para a cara dos toiros, vestindo a jaqueta dos Amadores de Arronches, estiveram os forcados Luís Marques, efectivando ao primeiro intento e, Rodrigo Abreu, à quinta tentativa.

Na linha da frente, com as ramagens de Monforte, estiveram João Falcão, consumando à terceira tentativa; e Vítor Carreiras ao segundo intento”.


(Créditos ‘Touro e Ouro’-Fotos João Dinis D.R.)