top of page

Floresta Segura 2024 – Balanço provisório da Fase de Prevenção e Sensibilização

A Guarda Nacional Republicana (GNR) no âmbito dos Incêndios Rurais intervém transversalmente no Sistema de Gestão Integrada de Fogos Rurais (SGIFR), destacando-se pela sua relevância nos processos de Prevenção, Pré-supressão, Supressão e Socorro e no Pós-evento com a investigação das causas, empenhando militares e guardas florestais da estrutura do Serviço da Protecção da Natureza e do Ambiente (SEPNA) e da Unidade de Emergência Protecção e Socorro (UEPS), ambas da GNR.



No âmbito da prevenção e sensibilização para a limpeza de terrenos, a GNR realizou até ao dia 31 de Maio, 4 428 acções de sensibilização, tendo alcançado 76 052 pessoas com o objectivo de evitar comportamentos de risco, sensibilizar para a importância de adopção de medidas de autoprotecção e uso correcto do fogo, por parte da comunidade, tendo para isto realizado 17 209 acções de patrulhamento e empenhado mais de 43 mil militares em todo o território nacional.

No que diz respeito às sinalizações realizadas por falta de gestão de combustíveis, por distrito, a Guarda registou os dados constantes no seguinte quadro, nomeadamente: Número de sinalizações por distrito em 2024* Portalegre - 71

Respeitante à investigação, e até ao dia 31 de Maio de 2024, foram registados 533 crimes de incêndio florestal, tendo sido efectuadas 16 detenções e identificados 131 suspeitos. Em período homólogo de 2022, foram registados 1 894 crimes de incêndio florestal, tendo sido detidas 39 pessoas e identificadas 378. No mesmo período do ano de 2023, a Guarda registou 1 790 crimes de incêndio florestal, tendo detido 42 pessoas e identificado 511 suspeitos.

Adicionalmente importa referir que para a Guarda, a protecção de pessoas e bens no âmbito dos incêndios rurais, continua a assumir-se como uma das prioridades estratégicas da GNR, sustentada numa actuação preventiva e num reforço de patrulhamento nas áreas florestais.

Nesse sentido, a GNR relembra que: As queimas e queimadas são das principais causas de incêndios em Portugal; A realização de queimadas, de queima de amontoados e de fogueiras é interdita sempre que se verifique um nível de perigo de incêndio rural «muito elevado» ou «máximo», estando dependente de autorização ou de comunicação prévia noutros períodos; Para evitar acidentes siga as regras de segurança, esteja sempre acompanhado e leve consigo o telemóvel; A Guarda Nacional Republicana, através do Serviço da Protecção da Natureza e do Ambiente (SEPNA), tem como preocupação diária a protecção ambiental e dos animais. Para o efeito, poderá ser utilizada a Linha SOS Ambiente e Território (808 200 520) funcionando em permanência para a denúncia de infracções ou esclarecimento de dúvidas.

(Fonte: GNR)

Kommentarer


bottom of page