Extremadura procura a sua industrialização

A região aspira a mudar o mercado de trabalho com empregos qualificados e melhor remunerados com o início de projectos ambiciosos que gerarão cerca de 2.000 novos empregos. As principais: a gigafábrica de Navalmoral, a fábrica de diamantes de Trujillo, a mina de lítio de Cañaveral e a fábrica de açúcar de Mérida; todos eles ainda para começar


«A Extremadura está pronta para competir na revolução verde e digital do século XXI. Hoje esta terra está na vanguarda para liderar a nova realidade. «A Estremadura não esteve na revolução industrial mas agora lidera a revolução verde». "Esta comunidade chegou à revolução industrial com 150 anos de atraso, agora chega antes de qualquer outra na nova revolução." Estas são algumas das frases que o presidente da Junta da Extremadura, Guillermo Fernández Vara, pronunciou para mostrar a grande convicção que existe de que a região vai experimentar, finalmente, um choque no mercado de trabalho. Impulso para repeti-lo não falta.


(Créditos - El Periódico)