Esclarecimento Público - Associação Os Romeiros da Freguesia de Esperança


A Associação ‘Os Romeiros da Freguesia de Esperança’, enviou à nossa redacção uma nota em que esclarece:

“Tivemos conhecimento, muito recente, de notícias nas redes sociais de que, no dia 01 de Maio, corrente, a Associação Os Romeiros da Freguesia de Esperança, recentemente criada, com orgulho de todos nós, e pensamos que da população do nosso concelho, teria desfilado, e, alegadamente, subindo os seus membros de carroça, até ao topo do espaço na ermida do Rei Santo, causando congestionamento de trânsito, no local, e na estrada de acesso à ermida. Tal é falso, e leviano.

Os romeiros de carroça, de forma organizada, e atrás do Rei Santo só chegaram até, antes, ao início da subida, final, de acesso, onde desmontaram e aparcaram as suas carroças e animais. Tal foi devidamente combinado com a Paróquia, e assim foi concretizado.

Foi um percurso, de emoção, felicidade e alegria, ao fim de dois anos de Pandemia.

Os romeiros subiram, sim, a pé, até ao recinto do Rei Santo, em devoção, cada um de nós que o quis, ou pode fazer. Estamos abertos a toda a comunicação social, a toda a comunidade, e a todos que venham por bem, e com lealdade.

Ao fim de dois anos de Pandemia, deve prevalecer a amizade e a verdade, não a polémica, ou a falsidade.

Bem hajam todos, os que por bem venham, nesta Romaria que são as nossas vidas, no dia-a-dia”.

NR - O Notícias de Arronches publicou, no seu site (www.notiiciasdearronches.com), a reportagem da ‘Romaria ao Rei Santo’ na qual refere a determinado passo que “encontrou no local de ascensão à ermida do Rei Santo, não pela situação 'provocada' pelos Romeiros e as suas carroças, mas sim, ao facto de agora as pessoas deslocarem-se mais nos seus veículos e causarem a confusão que ali se encontrava, porque todos queriam subir nos seus transportes...

Fomos testemunha presencial das viaturas a fazerem inversão de marcha. Uns para estacionarem à berma da estrada e outros para voltarem para trás - numa via estreita, foi natural a confusão. Foi factual! A culpa não sabemos de quem foi...mas existiu. Nunca foi nossa intensão colocar o ónus da causa nos Romeiros de Esperança, naquilo que nos diz respeito enquanto órgão de comunicação social.

Fernando N. Marques|Director