Dia Internacional da Não Violência e da Paz nas Escolas

Diz a Guarda Nacional Republicana em nota enviada às redacções da C.S., que “Visando contribuir para a prevenção e o combate à violência em contexto escolar e na comunidade de crianças e jovens, e para assinalar a data do dia 30 de Janeiro - Dia Internacional da Não Violência e da Paz nas Escolas, a Guarda Nacional Republicana entre o dia 24 de Janeiro e o próximo dia 4 de Fevereiro, encontra-se a realizar um conjunto de acções de formação e de sensibilização, com o objectivo de alertar para a necessidade de prevenir comportamentos violentos.



Criada em 1964, esta data foi uma iniciativa que teve como objectivo alertar para a necessidade de uma educação permanente pela Paz e pela Não Violência, procurando-se igualmente sensibilizar para a tolerância, solidariedade, justiça e respeito pelos direitos humanos junto dos estabelecimentos escolares. Neste sentido, a Guarda tem vindo a assinalar a data em questão, dada a sua relevância, através das Secções de Prevenção Criminal e Policiamento Comunitário (SPC) com o objectivo de consciencializar e sensibilizar a população em geral e, em particular, as crianças e jovens, prevenindo comportamentos de risco e comportamentos violentos, retratados muita vez como violência entre pares (bullying), discriminação e ameaças.

A violência entre pares inclui vários crimes, tais como crimes de ofensas à integridade física, injúrias, ameaça e coação. Nas escolas, a maioria destes aptos ocorre fora da visão dos adultos e grande parte das vítimas não reage ou fala sobre a agressão sofrida, ocorrendo muitas vezes através dos meios digitais, mais concretamente, nas redes sociais.

A GNR desenvolve um esforço significativo naquilo que são as iniciativas relacionadas sobre a temática em concreto, levando a cabo diversas acções de sensibilização focadas em temas relacionados com a “Violência”, “Internet Segura”, “Cidadania e Não-Discriminação” e “Direitos Humanos e das Crianças” nos quais são especificamente tratadas as diversas formas de violência. As acções são desenvolvidas desde a idade pré-escolar até ao 3º ciclo, apesar de abordagens diferentes, pois considera-se fundamental educar e prevenir este tipo de comportamentos desde cedo.

De referir que no primeiro período, do ano lectivo de 2021/2022, a Guarda Nacional Republicana registou um total de 70 agressões em ambiente escolar.

Além disso, a Guarda Nacional Republicana, já realizou no presente ano lectivo (2021/2022) 507 acções de sensibilização, das quais 328 foram dedicadas ao tema da “Violência entre Pares”, 146 de “Violência nas Escolas” e 33 de Ciberbullying, abrangendo um total de 14 119 alunos e 507 escolas.

A Guarda aconselha ainda os pais a estarem atentos às alterações no humor dos filhos, abatimento físico e/ou psicológico, sinais de impaciência ou ansiedade, piores resultados e desinteresse na escola, queixas físicas permanentes (dor de cabeça, de estômago, perturbações no sono, nódoas negras), irritabilidade extrema, ou qualquer outra mudança de comportamento, pois estes sinais podem camuflar sinais de violência física ou psicológica.