DESPORTO-VILLA UMA ‘MANCHA’ PARA O FUTEBOL DISTRITAL

Acabou a conferência de imprensa na sede da Associação de Futebol de Portalegre (marcada para as 15 horas e via Facebook) e a conclusão a que se chegou foi que as eventuais ilegalidades cometidas pelo Villa Atlhetic Club no jogo em que venceu o Elvas por 2-0, serão remetidas para o Conselho de Disciplina da A.F.P.



Este é um triste episódio perpetrado por uma falta de respeito pelo futebol em geral, e pela Associação de Futebol do Distrito de Portalegre em particular, onde pelo sua interioridade, falta de massa crítica, em que o campeonato sénior se disputa com 6 ou 7 equipas, sendo mais fácil a estes ‘vendedores de sonhos’ ascender mais rápido a outro patamar superior, como o Campeonato de Portugal ou a 3ª Liga.

Tudo isto começou e segundo declarações ao programa ‘Bola Branca’ da RR, em que é afirmado que o Villa vinha descentralizar o futebol, trazendo para o interior este projecto, cujo rosto é Fábio Lopes ‘Conguito’, radialista na Mega Hits. “Com ele entraram no projeto outras figuras públicas, nomes como Luís Pinheiro e Rui Simões, também da MegaHits, o produtor musical Benji Price ou até Joana Ornelas, ex-companheira de Bruno de Carvalho. No entanto, quem faz parte da equipa garante que foi Conguito quem sempre tratou de tudo”. Mais Futebol.

Hora foi este senhor que segundo o jornal Record foi “confrontado à saída do trabalho por grupo de jogadores do clube”. Em causa está “salários em atraso e falta de condições no clube”.

A TVI na edição de ontem do Jornal das 8, em texto de Pedro Ramalho foi dito (Ouvir aqui) que “o caso mais complicado a ser o de quatro atletas menores de idade, todos estrangeiros que foram contratados no norte de país”. Ainda segundo a TVI “estão a viver numa casa na região de Vila Franca de Xira” para sobreviverem é graças à ajuda de outros elementos da equipa, “mas a habitação já não tem água nem luz”, adianta a mesma fonte.

Em declarações à Rádio Portalegre, Paulo Canhão, Presidente do Elvas, afirmou que ”o que se passou em Elvas, no último domingo, foi surreal”, confessando que anda há muito tempo no futebol e que nunca assistiu a “uma coisa destas”.

A Associação de Futebol de Portalegre e o seu Conselho de Disciplina, e mesmo a própria Federação Portuguesa de Futebol, têm que por cobro a estas situações que mancham o negócio do futebol mas, um negócio em que impere a verdade e a justiça e acabe com estes ‘vendedores de sonhos’ sem respeito pelo ser humano, que está para lá do futebolista.



(Créditos-Record-Mais Futebol-TVI|Foto-D.R.)