Covid-19: Fiscalização na fronteira do Caia

A fiscalização na fronteira do Caia decorreu hoje sem 'sobressaltos', mas há quem discorde.


Em declarações à Agência Lusa o comandante do Destacamento de Elvas da GNR, João Lourenço, afirmou que “as pessoas que entraram em Portugal pelo Caia e que foram fiscalizadas durante esta acção” apresentaram “na sua generalidade os documentos necessários”.

A operação de fiscalização decorreu com a GNR e o SEF no terreno e houve de ambos os lados da fronteira quem estivesse de acordo com as medidas, e estavam prevenidos através das notícias mas, houve outros que mostraram o seu desagrado pelo tempo perdido na fiscalização, fazendo com que chegassem atrasados aos empregos, sobretudo alguns portugueses a trabalharem em Badajoz.

O Comandante João Lourenço referiu à agência noticiosa portuguesa que “Temos verificado que as pessoas já estão sensíveis a estas acções de fiscalização e em toda a sua generalidade apresenta a documentação necessária e de forma muito natural”.

Estas medidas com o estado de Calamidade vão manter-se até 20 de Março de 2022.


(Foto-D.R.)