top of page

CENTRAL NUCLEAR DE ALMARAZ – Benefícios…e ‘prejuízos!

Por estar situada junto ao Rio Tejo e as descargas implicitamente poderem provocar um grave prejuízo para Portugal, tudo o relacionado com esta central merece a atenção do governo português, e dos portugueses.



Segundo o ‘El Periódico’ “Almaraz gerou 16.927 GWh em 2023, o terceiro melhor registo da sua história. A central cobre 7% da procura de electricidade em Espanha, o equivalente a 4 milhões de lares”

Cita ainda um comunicado de imprensa que diz “Almaraz cobre 7% da procura anual de electricidade, gerando anualmente o equivalente ao consumo de 4 milhões de lares ”, acrescentava a referida nota, na qual se destacava ainda que "a sua produção de electricidade em 2023 evitou a emissão de 5. 5 milhões de toneladas de dióxido de carbono na atmosfera”.

Quanto ao previsto encerramento refere que “O primeiro reactor de Almaraz abrirá o calendário de encerramento do parque nuclear espanhol. Deixará de operar em Novembro de 2027. O segundo, caso não haja alterações nas datas previstas, deixará de produzir em Outubro do ano seguinte.”

Em 2023, foram realizados investimentos no valor de 50 milhões de euros na Central de Almaraz destinados a "melhorar a segurança pessoal e nuclear, o cumprimento dos requisitos regulamentares, bem como a actualização e modernização de equipamentos de acordo com o seu estado, a fim de maximizar a "fiabilidade" desta planta, foi detalhado ontem pelo CNAT, cita o jornal da Extremadura.

Quanto à sua construção no projecto da energia nuclear do governo de Espanha, foi ainda recordado que “a fábrica da Extremadura gera 2.900 empregos, entre directos, indirectos e induzidos, aos quais se somam outros 1.200 trabalhadores adicionais durante os períodos de reabastecimento de combustível. Neste sentido, realizou-se no ano passado a 29ª recarga do seu reactor I, “atingindo e melhorando os objectivos traçados em duração, segurança nuclear, protecção radiológica e qualidade na execução da obra”.

Por outro lado, durante o ano de 2023 não se registou nenhum acidente com baixa por doença na fábrica de Almaraz, “até hoje já passaram mais de 480 dias” sem que tenha ocorrido qualquer acidente deste tipo, finaliza o ‘El Periódico’ em Newsletter enviada à nossa redacção.

(Créditos: 'El Periódico')

bottom of page