Casa do Alentejo – Um Património de Memórias


Fala-se de Património da Casa do Alentejo e faz-se de imediato a interligação do palácio seiscentista com a Associação Regionalista. Isto porque a nossa Casa está instalada num edifício esplendoroso, um palácio seiscentista. Palácio que foi reconvertido, no princípio do século XX (1917-1919), num “club” luxuoso onde o jogo e o dinheiro dos ricos empresários criaram e guardaram ali uma vida dourada, completamente desfasada da realidade portuguesa, quando a guerra e a fome atingiam a maior parte da população.

Este palácio construído, primeiro como solar, no final de seiscentos, pertenceu aos viscondes de Alverca, foi arrendado (com excepção das lojas), em 1917, por um grupo de empresários que, após obras radicais assinadas pelo arquitecto Silva Júnior, fizeram do palácio um clube de recreio e de jogo denominado “Majestic Club”, passou pouco depois a chamar-se “Monumental Club” e assim permaneceu até 1928. O palácio encerrou durante algum tempo, até que em 1932 foi arrendado pelo Grémio Alentejano, colectividade que teve de mudar, nos anos quarenta, a designação para Casa do Alentejo. Em 1981, um descendente dos viscondes de Alverca vendeu o palácio à Associação Regionalista.