ATRASOS NA CONSTRUÇÃO DO HOSPITAL CENTRAL DO ALENTEJO

Carlos Pinto de Sá, Presidente da Câmara Municipal de Évora, eleito pela CDU, em declarações à agência Lusa e divulgadas pelo NaM, mostra-se preocupado com o possível atraso na obra do Hospital Central do Alentejo.


O autarca fundamenta este receio, por haver a necessidade de um estudo de impacto ambiental. No entanto e segundo a mesma fonte a Administração Regional de Saúde não confirmou essa eventual demora.

Perante esta situação o autarca diz que "foi uma situação que nos surpreendeu. Em primeiro lugar, porque o próprio projecto já tem uma abordagem à questão ambiental e, depois, o Secretário de Estado tinha dito que não havia necessidade de EIA", afirmou à agência noticiosa.

Recorde-se que a obra foi adjudicada ao grupo espanhol ACCIONA, através de concurso internacional pelo valor de 180 milhões de euros.