top of page

ARRONCHES -Sobre os peixes mortos no Rio Caia

O aparecimento recente de peixes mortos em alguns locais do Rio Caia (não na ribeira porque esta está seca), serviu para alimentar a polémica nas redes sociais. Locais onde todos são livres de expressar a sua opinião, só que lamentavelmente, nem todos estão habilitados com o conhecimento necessário para fazerem ‘julgamentos’, como se tratasse de ‘treinadores de bancada’ no futebol, ou arautos da desgraça.

Há organizações ambientalistas com créditos para os fazerem, assim como autoridades cuja jurisdição lhes permite intervir nesta matéria.

É mais fácil e mais ‘agradável’ emitir opiniões nas redes sociais, do que ir por exemplo, às Reuniões de Câmara expor esse ou outros assuntos que possam dar um contributo para o resolver problemas dos quais tenham conhecimento.


Foi precisamente o que fez ontem, na Reunião da Câmara, o Presidente João Crespo na sua habitual introdução antes do período da Ordem do Dia. É nesta altura que dá a conhecer à vereação e aos que se encontrem porventura no Salão Nobre dos Paços do Concelho (nenhum munícipe) os assuntos dos quais tem conhecimento ou foi participante activo.

Nesse âmbito e sobre o aparecimento de peixes mortos no Rio Caia à sua passagem por Arronches, esclareceu que isso se deve eventualmente às recentes chuvas, cuja pluviosidade ao abranger hortas ou terrenos agrícolas, possa ter passado para a água componentes de presumíveis fertilizantes ou excrementos de animais, que provocaram a morte dos peixes. Tudo isto sem estar nada apurado. Uma certeza tem o autarca: Não há indústrias poluentes no concelho que vertam qualquer produto para o Rio ou Ribeira que causem problemas na fauna ou flora. Garantiu o presidente que a situação está a merecer a preocupação do Município e que o incidente foi remetido para o Serviço de Protecção da Natureza e do Ambiente (SEPNA), que apurará as causas.


(Redacção|Foto-D.R.)

bottom of page