ARRONCHES – MANHÃ ELEITORAL

Por momentos o jornalista sentiu-se como na pré-pandemia, em que as deslocações eram constantes, com uma agenda repleta de eventos.


Hoje voltámos à estrada. Depois de um retemperador pequeno-almoço numa esplanada. Tomando um pouco do sol que nos aquece o corpo e a alma mas, que ao mesmo tempo, nos faz andar preocupados com a falta de chuva. Entrámos na assembleia de voto a funcionar na Junta de Freguesia dos Mosteiros. Ambiente descontraído, cumprimento das normas mas, naquele momento, poucos eleitores que começariam a chegar posteriormente.



Registado o facto, metemo-nos a caminho da serra, naquela paisagem de que nunca nos cansamos de observar. Campos que neste tempo seriam um manto verde estão sem pastos. Vacas e ovelhas vão mordiscando aquilo que as geadas deixam na noite para ir rompendo um ou outro pedaço de verde que disputam entre si.

Chegados à Freguesia de Esperança, logo se notou um maior movimento. Na assembleia de voto a funcionar no espaço para a 3ª idade, iam chegando os eleitores que depositavam o seu voto e iam para as suas vidas. Uns trabalhar nos campos, outros a desfrutar de um dia de sol e, quem sabe, se com um almoço fora, para contribuir para a economia local.

Por fim mais uns quilómetros e rumámos à sede do concelho. Na Junta de Freguesia de Assunção sem grandes filas, os eleitores iam chegando e colocavam na urna o seu voto. Um daqueles mais que vai decidir o futuro próximo de uma governação que se espera modifique este estado de coisas menos positivas com que por vezes nos temos que enfrentar.

Tempos difíceis com mais de um milhão de pessoas em isolamento profilático e a grande percentagem de abstenção que se tem registado em eleições anteriores, podem ser a chave do resultado final. Os que estão em isolamento têm hora marcada para exercerem o seu direito de voto com todas as normas de segurança e, a garantia de que enquanto houver fila para votar, as urnas esperam por eles.


Opinião-Fernando N. Marques|Vídeo Notícias de Arronches