ARRONCHES-A REALIDADE DE UM MUNICÍPIO DO INTERIOR


Ao passarmos os olhos sobre os dados referentes ao Município de Arronches, segundo o Censos 2021/Pordata, não podemos ficar insensíveis há realidade. Teremos contudo de ser objectivos naquilo que aos números se referem mas, naturalmente, analisar que as percas quer da população 6.818 habitantes (1960), o número de idosos que era de 9% para os 31,5%, num universo de 2.789 residentes actuais, há outros factores positivos e outros não tanto.

Por exemplo começando no saneamento básico que teve um grande significado após 1974 com as eleições autárquicas livres; as infra-estruturas básicas como os cuidados de saúde, quer do SNS, como na área social criando o município lares para idosos em todas as freguesias, na educação com creches e infantários e o próprio crescimento da área urbana, etc.

Porém a população activa (15 e 64 anos em 1980) que era de 67,9%, passou em 2021 a ser 57,8%. Os idosos por cada 100 jovens cifrava-se em 38,8% passando actualmente para 295,0. Já as famílias com duas pessoas que era de 24,4%, passou para 35,7%.

Mas nem tudo são rosas. O custo de vida aumentou exponencialmente em especial na habitação. Hoje com excepção à habitação social, as rendas passaram em 2001 de entre os 50,00€ e os 99,00€ para um mínimo de 200,00€ até aos 999,99€ mensais de2021.

É certo que outros factores abonam em relação ao mais pequeno concelho do distrito de Portalegre, quando é apontado com um dos que melhor qualidade de vida oferece, bem como um dos Municípios melhor situados no ranking nacional, quanto à sua gestão financeira. Visível é a recuperação de edifícios públicos, centro histórico e a aquisição por exemplo de moradias degradadas para serem colocadas à disposição dos interessados, através de hasta público, situação esta que, por si só, vem inflacionar o custo mensal (por vezes superior aos 300,00€) da habitação no seu todo.