A GRANDE MAORIA DOS CONCELHOS AVANÇA PARA PRÓXIMA FASE DE DESCONFINAMENTO

O Primeiro-ministro António Costa em declarações ontem ao país, garantiu que na grande maioria os concelhos do país avançar para a próxima fase do desconfinamento.


A partir de 2ª-feira o “regresso ao atendimento presencial com marcação das Lojas de Cidadão, a reabertura das salas de cinema, teatro e espectáculos de acordo com as regras anteriormente definidas pela Direcção-geral da Saúde”.


Vêm aí algum desafogo para a restauração mas, também críticas, em especial no concelho de Portimão que não vai ter abertura ao próximo passo do desconfinamento, cujos proprietários de cafés e restaurantes não compreendem o regresso das aulas com centenas de alunos, professores e pessoal não docente a regressarem ao trabalho e a restauração a continuar a ser ‘massacrada’, afirmam.

Assim os concelhos que podem avançar vão ter a possibilidade de” restaurantes, cafés e pastelarias poderem ter serviço de mesa ou balcão desde que não ultrapassando um máximo de quatro pessoas, a abertura de lojas e centros comerciais, independentemente da sua dimensão e também de acordo com as normas de lotação fixadas pela Direcção-geral da Saúde. Também «os casamentos, baptizados e outras celebrações são possíveis com uma assistência máxima de 25% relativamente à lotação normal do recinto», acrescentou.

Com o índice ‘Rt’ a aumentar há 13 concelhos em risco, ou que se mantêm, ou vão mesmo ter que recuar. Os casos mais complicados situam-se em Moura, Odemira, Portimão e Rio Maior, com mais de 240 casos por 100 mil habitantes e Alandroal, Albufeira, Beja, Carregal do Sal, Figueira da Foz, Marinha Grande e Penela, acima dos 120 casos.

António Costa acabou por frisar que «o esforço enorme que País fez não pode ser desperdiçado» e que «até que o processo de vacinação esteja completo, temos de continuar a fazer este esforço».


(Fonte e foto-www.portugal.gov.pt)