A EVOLUÇÃO TECNLÓGICA EM 20 ANOS

Ontem ao ver uma reportagem num noticiário televisivo, foi despertado para esta realidade de que nem nos apercebemos da passagem do tempo e dos avanços tecnológicos em duas décadas.


Quase em tom de ‘brincadeira’ porque o tema era 'como podemos ser enganados', o repórter frisava que durante as filmagens da reportagem era necessário recolher uma imagem do exterior de uma janela e que o drone com que filmavam, destroçou-se contra a parede do prédio. Ainda há pouco para obter imagens destas era necessário um helicópetro.

De repente fez-se como um click e recordei-me de quando iniciei a publicação do Notícias de Arronches. Tinha então uma máquina fotográfica Mamya que, a par da Hasselblad, eram as duas marcas (grande formato) mais usadas em grandes produções fotográficas. A minha adquiria na altura já em 2ª mão, a um fotógrafo da antiga CUF no Barreiro. Já vinha equipada com um motor que se acoplava por baixo, uma grande angular e uma lente fixa de 150 m/m. Uma revolução para a época a qual guardo com grande estima.


Depois já no início das digitais (pobrezinhas), tive que a através da CGD, enviar o pagamento para um banco francês para receber essa primeira câmara digital (também ainda guardo). Daí para cá o mundo, em especial das digitais (Canon e Nikon) nunca mais parou, e hoje obtêm-se imagens de nitidez extraordinária como se gravam vídeos já de 4K e ligação Wi-Fi.

Mas eis que também se desenvolveu a indústria dos telemóveis (comecei com um ‘tijolo’ da Telecel), a maior invenção do século XXI que trazemos na algibeira. Para além da sua principal missão que seria como telefone, oferece-nos um mundo de tecnologia cada vez mais abrangente e que continua a surpreender-nos.