A ESQUERDA DOS ‘TRABALHADORES’ QUE OS ‘CONDENOU’

Na votação do OE para 2022 a esquerda mais radical, a que se diz arauto dos direitos dos trabalhadores, mesmo com cada vez menos expressão em votos e deputados, juntou o seu voto à direita e chumbou o orçamento. Esta situação não é nova porque já tinha acontecido com a queda de Sócrates.


Num país em que cada vez mais só se fala em direitos e esquecem-se os deveres, o dinheiro não vem de um poço sem fundo, mas sim, dos contribuintes. É necessário sermos produtivos, o que não acontece para se poder distribuir riqueza, caso contrário são os impostos que suportam todas as reivindicações que PCP e BE exigiam.

O Ministro dos Negócios Estrangeiros Augusto Santos Silva em entrevista à TVI, perguntava o que "ganharam com isto que fizeram hoje". Considerandos mesmo que as possíveis eleições antecipadas poderão resultar numa "circunstância estruturalmente parecida com a actual".

Este foi um dos "três cenários" que admitiu também que a direita pode "facilmente" construir uma maioria ou, por outro lado, pode o PS conquistar uma maioria absoluta, admitindo também a "construção" de uma com o PAN.

Santos Silva recordou que face a esta situação provocada pelo PCP e BE o que Portugal e os portugueses perdem é “ o salário mínimo aumenta mais? Não, nem aumenta. O aumento das pensões é superior ao que o Governo estava a propor? Não, com o OE chumbado nem sequer há aumento extraordinário das pensões."

Quanto à imagem externa do país Portugal perdeu "um grande trunfo internacional, que era a nossa estabilidade, e esse trunfo perdemo-lo hoje. Convém recuperá-lo o mais depressa possível."

A este respeito o Vice-presidente do P.E. responsável para as questões «Uma Economia ao Serviço das Pessoas», afirmou que"Teremos agora de avaliar a situação com as autoridades portuguesas relativamente ao esboço de plano orçamental para 2022 e decidir como proceder ao certo, no sentido em que precisamos de compreender com as autoridades portuguesas quais são as perspectivas, quão cedo poderá chegar o próximo orçamento", declarou Dombrovskis.



(Créditos – TVI e TFS|Foto-D.R.)